[Resenha Filme] Assassin's Creed

Olá pessoal, tudo bom?

Estou inaugurando o quatro nesse novo blog de Resenhando filmes, que será sobre os filmes que verei este ano, o primeiro que iremos resenhar é Assassin's Creed, um filme baseado em um videogame mega legal. 


Sinopse: Callum Lynch (Michael Fassbender) descobre que é descendente de um membro da Ordem dos Assassinos e, via memória genética, revive as aventuras do guerreiro Aguilar, seu ancestral espanhol do século XV. Dotado de novos conhecimentos e incríveis habilidades, ele volta aos dias de hoje pronto para enfrentar os Templários. Versão para as telonas do game Assassin's Creed.

O filme, recheado de história, tem como base a organização dos Templários, quando vi o filme não me recordava muito do que eles eram em si, mas depois de conferir eu estava realmente certa nas minhas suposições, os cavaleiros templários são a organização que protege a fé cristã e que originou toda a treta com as Cruzadas. 

Basicamente, este fato histórico: de disseminar a fé cristã está presente no filme, porém não é o foco principal da história. A grande confusão entre os Templários e o Credo dos Assassinos e que depois de muitos anos, os cavaleiros ainda querem colocar as mãos na Maça do Éden, uma relíquia que guarda a primeira desobediência humana e, por consequência, o livre arbítrio. Só que os Assassinos protegem essa relíquia e foram os últimos a colocar suas mãos nela. Assim, através da ciência os Templários criam uma máquina e usam pessoas ligadas ao Credo para descobrirem onde este artefato está. 


Além da parte história, a parte científica foi muito bem explorada. Seria realmente incrível poder ver as memórias de seus ancestrais e vivenciá-las novamente, isto se você realmente teve ancestrais legais, igual ao Cal da história. 

Eu amei os efeitos, amei o enredo, e, como não tenho contato com o videogame e nem com os livros, para mim foi um filme perfeito. Eu adorei bastante e, por isso, recomendo.  

Se já viram este filme, não deixem de comentar aqui embaixo, quero saber sua opinião também! 

Abraço, 
Luisa 

Parceria Kate Willians

Olá pessoal, como vão?

Vim através desse anuncio dizer que teremos muitas novidades para 2017, primeiramente o blog fechou duas parcerias e cada uma delas irá receber uma postagem diferente. Primeiro vamos falar da parceria com a autora Kate Willians!


A Kate é uma amiga muito querida para mim e é uma honra poder ser parceria dela nessa empreitada em 2017! Abaixo temos a sua biografia com a fotinho mais linda do mundo <3 



Ela é uma fofa né? Eu tenho vários livros da Kate, mas sou uma vergonha e ainda não os li, porém com a parceria quero manter vocês atualizados sobre o que essa fofa está produzindo desse mundo literário! 



Abraços e até mais pessoal! 

Em breve, vamos falar de outra parceria que o blog fechou, beleza? 

Luisa Soresini 



[TALKSHOW] Entrevistando Juliana Leite, Dárien e Kiara

Olá pessoal, estamos hoje com a Juliana Leite, autora de Entre Vidas e seus lindos personagens Kaira e Dárien. Digam olhar aos nossos leitores!


Juliana: Espero que gostem da entrevista. E queiram ler essa saga que tanto amo.
Kiara: Espero que gostem de ler o que passei. Talvez sejam sádicos.
Dárien: Estou aqui obrigado.
Juliana: Por favor, cooperem e não assustem nossos leitores.

Vamos começar as perguntas, então! Rsrs Por favor, não se matem! A primeira vai para a autora.

Juliana, quais foram as suas inspirações para criar essa saga e principalmente essa narrativa?

Juliana: Quando acabei de ler As Brumas de Ávalon, lá em 2002, fiquei obcecada por celtas, pela religião da Grande Deusa, etc. Fiquei procurando outras histórias sobre o tema, mas não encontrava. Não sei se porque na época a internet não facilitava. Então comecei a pensar que eu poderia escrever. Só que algo voltado à adolescentes, não tão sério ou pesado. Então comecei a pensar em que época faria. Não conseguia escolher um tempo certo. E lendo sobre os celtas, li uma lenda que falava que os celtas são descendentes dos sobreviventes de Atlântida. Então me deu a ideia. Vou escrever uma série em várias épocas e o primeiro livro será sobre Atlântida. E o que vai ligar tudo é que os protagonistas serão reencarnações dos mesmos personagens.



Agora, conte para nós de onde saiu à inspiração para criar a Kiara e o Dárien?

Juliana: Escrevi o primeiro livro com 17 anos. Não nego que Kiara é muito eu mesma na idade dela. Ou pelo menos as coisas que eu gostava na época. Sempre gostei de histórias épicas, lutas de espadas, etc. O Dárien penso que é uma mistura de algumas pessoas que eu conhecia na época, incluindo uns dois crushs (na época ninguém usava o termo) e talvez o que eu gostaria que eles fossem.
Kiara: Só a personalidade mesmo, porque olhe, não está sendo fácil. Ai me faz me apaixonar por um troço desses? Não tinha nada melhor não? Mais bonito, mais instruído e educado?
Juliana: Tinha. E você que não quis.



Qual dos personagens do seu livro você gosta mais?

Juliana: Do primeiro livro? Dárien. Pelo crescimento do personagem.
Dárien: Eu sou foda mesmo.
Kiara: Eu passo por tudo que passei para ler uma coisa dessas...

Kiara, minha pergunta vai para você. Qual é o lugar que você mais gostou de conhecer na sua jornada?

Kiara: Certamente o Egito. Apesar de não ter vivido maus bocados lá é um lugar fascinante e aprendi muito lá. Em Atenas só de olhar para aquelas construções imitando Atlântida já ficava irritada.
Dárien: Posso saber o que não a faz ficar irritada?
Kiara: Você não se metendo.

Dárien, você sempre quis ser general? Nunca pensou em ser algo diferente? Se fosse o que seria?

Dárien: Não sei se queria ser general. Mas sempre quis ser soldado. Não me vejo fazendo outra coisa.
Kiara: Ia fazer o quê? Só sabe matar.
Dárien: O que lhe foi bem útil, não é mesmo?
Kiara: Teria feito tudo sozinha…
Dárien: Vou nem comentar...

Dárien, qual a coisa mais importante para você? Sem spoilers sobre o livro da Juliana ouviu?

Dárien: Minha honra. Tenho que cumprir meu dever com o imperador de Atlântida, e a promessa que fiz a ele como amigo.
Kiara: Pode admitir que sou eu.
Dárien: ...


Kiara, em uma escala de 1 a 10 quanto você dá para o Dárien? E eu estou falando de beleza e não de personalidade!

Kiara: Hum… Oito. Dá para o gasto. Não é nenhuma beldade, não é mesmo?
Dárien: Quero saber quando vou parar de ser provocado.
Kiara: Nunca.

E você Juliana, se tivesse que escolher entre os dois qual escolheria?

Juliana: Como podem ver qualquer resposta daria em brigas. Mas seria o Dárien. Seria menos pior que a Kiara, pois era lidar comigo mesma, acabaria nos matando.
Kiara: E ela ainda me faz sofrer por mais três vidas feito uma condenada, para responder em tudo que prefere Dárien.
Dárien: Ah como se eu também não tivesse passado por nada.
Juliana: Só respondi o que ela perguntou. Vocês melhoram ao longe de mais três vidas, mesmo assim acho que minha resposta acabaria sendo ele.
Kiara: Adeus. Essa foi demais para mim.
Juliana: Desculpa o temperamento deles.
Luisa: Sem problemas....
Dárien: Somos apenas reflexos de você.
Juliana: Não posso sair concordando com isso. Bem, foi uma ótima entrevista, até mais!

Essa foi nossa entrevista pessoal! Logo mais voltamos com mais personagens maravilhosos de outros livros nacionais!

Abraços, 
Luisa Soresini 



[RESENHA] Entre Vidas: Kiara

Olá pessoal, tudo bom?

Dei um sumiço mesmo, mas agora vamos volta a programação normal. E nada melhor do que comemorar o retorno de final de ano com uma resenha maravilhosa sobre o livro Entre Vidas: Kiara da Juliana Leite, parceira aqui do blog. 


Sinopse: Kiara passou toda sua adolescência em Ávalon, estudando para se tornar uma sacerdotisa da grande Deusa. Porém, diante do assassinato de seus pais, ela se vê com uma imensa responsabilidade em seus ombros: ajudar seu irmão mais novo, Edímion, a governar Atlântida. Há mais de três mil anos a cidade era a joia do Mediterrâneo. Rica e próspera até despertar a cobiça dos atenienses. Quando a ilha é atacada novamente, Kiara se vê obrigada a buscar aliados, fazendo uma jornada das areias do Egito à Atenas e enfrentar personalidades poderosas. Com a ajuda de Leran, um encantador druida e de Dárien, um misterioso arqueiro. Entre Vidas I nos levará em uma aventura magnífica entre mitologias e lendas perdidas. Uma história onde uma princesa terá que virar uma guerreira para salvar sua família, seu povo e o grande amor de sua existência.

Só tenho uma palavra para descrever a leitura desse livro: BERRO! 

Entre Vidas é uma série de quatro livros, que estão conectados de forma grandiosa, pois a Kiara, protagonista da primeira obra perpassa todas as obras e reencarna em diferentes formas, assim como os demais personagens. Lise, protagonista do livro dois, é sua próxima reencarnação e assim por diante. Com isso, não há necessidade de ler todos os livros imediatamente, pois todas as histórias se encerram nas respectivas obras. Como nosso foco é Kiara, não vamos nos perder nas demais obras dessa deliciosa saga, pois essa primeira história já tem emoções demais e nos dá ataques cardíacos quase o tempo todo. 

Kiara, sacerdotisa de Avalon e irmã do príncipe herdeiro de Atlântida, passa por maus bocados após a morte dos seus pais. Ela e o irmão tem um fardo muito grande para carregar e talvez, um deles não seja capaz de suportar tamanho peso. Com isso, uma série de aventuras e eventos mudam completamente o destino da personagem que se vê em situações que jamais presenciou antes. Entre elas, um relacionamento que tem tudo para dar certo e uma rivalidade que faz seu sangue ferver, será que ela agirá e seguirá sua intuição para fazer tudo que precisa? Terá que ler para descobrir. 

Personagens

Adorei os personagens desse enredo. Eles são bem construídos e tem uma função clara (apesar das reviravoltas) na história. Kiara me surpreende o tempo inteiro, pois ela faz o completo oposto do que eu penso e isso é incrível, gosto de personagens que quebram paradigmas, apesar de eu achar que ela é bem doida às vezes kkk. Dárien, o general, é ótimo também, ele é bem ranzinza e cético, gosto do seu estilo e de como foi construído (caio de amores por ele). Gosto do Ling e do Edímion. Perdoei alguns personagens que não posso dizer quem são e quero ralar a cara no asfalto de outros, mas está tudo bem. 


Minha reação sobre uma determinada cena do livro rsrs

Tempo

Sabe quando você espera uma coisa e você fica: "Cara, ela não vai fazer isso, num é possível!" Ela faz, Juliana Leite é matadora, cuidado com ela pessoal. Sobre o tempo, acho que ela acertou muito e estudou muito para fazer esta história, todos os países, todos os mitos e toda a mitologia celta por trás do livro está condizente e é ótima. Nota 10! 

No final só tenho uma coisa a dizer, o livro é incrível e muito bem feito. Você nunca imagina que certas coisas irão acontecer e elas acontecem. O fato de que tem certas coisas que precisam acontecer na nossa vida, para mim, é realmente verdade, porém o que você faz com isso e a maneira como você irá lidar, cabe somente a você decidir e definir. Seu destino é seu e o da Kiara, com certeza, é completamente dela. 

É isso pessoal! Se quiserem tem mais informações da nossa parceira na aba de parceiros! Não deixem de seguir o blog e a autora! 

Compre aqui seu livro! 

Abraços, 
Luisa Soresini 

[Dia das Crianças] O Vale dos Vaga-lumes - Uma releitura de Alice no País das Maravilhas

Olá pessoal, tudo bom?

Primeiramente, desejo tudo de melhor para as crianças daqui do blog e, sim, todos nós somos crianças se mantermos nossos espíritos criativos e cheios de imaginação dentro de nós! 

Então, com esse clima vim falar sobre o prólogo do livro da minha amiga e autora Lilah Prates, que tem como proposta ser uma releitura bem macabra de Alice no País das Maravilhas, o Vale dos Vaga-lumes. Como a autora somente postou essa primeira parte no Wattpad (clique aqui para ler). Fiquei com água na boca por mais, mas não poderia não resenhar mesmo por uma parte tão pequena como essa. O prólogo, além de tudo, é denominado como A Supremacia do Chapeiro e já demonstra que grandes coisas estão por vir. 



A história começa, aparentemente, depois que a Alice volta para o nosso mundo e deixa O País das Maravilhas. Chapeleiro sente falta da garota, de uma forma até bastante apaixonada se eu posso colocar assim. Em meio a esse momento, enquanto estava sentado na mesa tomando chá, uma mulher extremamente parecida com a doce Alice aparece e se senta ao seu lado. Ele indignado, fica com raiva dela, porém não a expulsa por ser parecida com sua garota. 

Neste momento, sua loucura e delírios aumentam e a mulher, chamada de Dafine, faz uma proposta que aparentemente se torna irrecusável. 

O que acontecerá? Será que o Chapeleiro entrará no jogo desta mulher? E se tornará algo que ninguém espera? Um delírio e uma história cheia de emoção nos aguardam! Lilah, por favor, nos queremos mais! kkk

Por enquanto é isso pessoal! Espero que tenham gostado, não deixei de seguir o blog e a autora no wattpad! 

Abraço, 
Luisa 

Lilah Prates, a Fênix Resplandecente


Lilah não vive no País das Maravilhas, mas admite que amaria tomar uma xícara de chá com o Chapeleiro e papear sobre corvos e escrivaninhas. Dona de um canal pequenininho no YouTube, o Através do Espelho, e de um vira-lata chamado Alf, ela divide seu tempo entre a faculdade e seu amor pelos livros.

Sinopse O Vale dos Vaga-lumes: Não há um lado mais escuro da lua. Na realidade, ela é toda escura. Alice Liddell descobriu esta verdade da pior maneira. Não há como escapar da escuridão. Não há como se esconder. Precisava se apegar a ela. É disso que se trata sua loucura. 



Instagram: @lilahprates
Facebook: /paisdosespelhos

[Resenha] Não Tranque a Porta de Amanda Ághata Costa

[Pode conter um tico de spoiler, não resisti kkkk]

Olá pessoal, voltei!! Como estão?

Hoje vamos falar do conto da minha diva master, Amanda Ághata Costa, Não Tranque a Porta

Amanda teve a delicadeza de postar esse conto no Wattpad ontem, que você consegue ler aqui

É um conto que ela fez para participar de um concursos de contos eróticos e, mesmo assim, ela disponibilizou a versão para nós, meros mortais, pudessem ler. Então, corri e aproveitei a oportunidade, já que estou lendo o livro A Escolhida da autora e completamente apaixonada pela Ari e pelo Luke (em breve teremos resenha da obra dela também). 

Sem mais delongas, vamos falar um pouco da sinopse da história do Max e da Lorena. 



Sinopse: Princesas nem sempre são bem educadas ou seguem à risca as regras já estabelecidas para honrar o título que carregam. Lorena é prova viva disso, pois não se importa com julgamentos alheios ou olhares de reprovação. Disposta a encarar novas aventuras e aproveitar ao máximo as sensações que o sexo casual proporciona, faz questão de deixar de lado os parâmetros sociais e coleciona inúmeros casos de uma noite com príncipes mal intencionados. Quando não se procura o amor, nem faz questão de vivê-lo, a solução é deixar todas as portas abertas para divertir-se ao máximo com os que estiverem dispostos a satisfazer os seus desejos mais sensuais. O que Lorena não sabe, é que nem sempre é necessário estar à procura para esbarrar em sentimentos que não imaginava que realmente pudessem existir.

Eu amei esta sinopse! E a capa, então, está um tesouro dos deuses. 

Como se trata de um conto erótico, você já espera cenas mais sensuais e picantes. Contudo, Amanda demonstra que nem sempre é necessário palavras chulas para demonstrar intensidade na história desse tipo de estilo. Max e Lorena, com isso, tornam-se personagens extremamente sensuais e profundos e sua relação é intensa na medida certa, sem deixar o conto fora do estilo que a autora queria alcançar. 

Outra coisa, o narrador da Amanda, mesmo sendo em terceira pessoa, nos dar uma visão complexa e completa dos personagens, mesmo sem sabermos os pensamentos mais profundos de seus almas. Contudo, sua onisciência, nos dá a dimensão necessária para entender a complexidade do relacionamento secreto dos dois, que na minha opinião, sai do padrão para a época descrita no conto. 

Você tem uma protagonista vivaz e que acredita nos próprios desejos e ações e o seu par, um homem dotado de interesses, mas nem mesmo sem seus encantos mais profundos. Os dois se completam no ato consumado e demonstram a dimensão das emoções, que nutrem um pelo outro, mesmo sem compreendê-las totalmente. 

Max e Lorena nos cativam de forma impressionante para poucas páginas do conto e nos pedem que continuemos esperando um livro completo da autora (já mandei ela fazer kkk) sobre a história deles. E, assim, a gente vai continuar esperando! 

Amanda está de parabéns pela obra intensa e maravilhosa que ela fez, em tão poucas páginas, e espero que continue investindo nessas narravas curtas e tão maravilhosas, quanto suas obras maiores. 

Pessoal, não deixem de seguir a autora no wattpad e ler sua obra! Também siga o blog para ver mais resenhas e outros assuntos. Segue biografia e ficha do RPG da autora <3 


Biografia: Amanda Ághata Costa nasceu em 21 de Outubro de 1993, em São João Batista, uma cidade do interior de Santa Catarina. Formada em Pedagogia e amante das palavras desde a infância, jamais imaginou que um dia sua voz seria ouvida. Com papel e caneta em mãos, espera poder tocar as pessoas com suas histórias, fazendo-as vibrar e amar cada fragmento das mesmas. De todas as coisas do universo, aventurar-se nos mares da fantasia é sua maior paixão. A Escolhida é seu romance de estreia.







Amanda Ághata Costa
Nome de Combate

A Escolhida

Classe
Anjo
Estilo
Fantasia
Itens Mágicos
A Escolhida, A Subestimada, Não tranque a Porta e Vestido Vermelho de Sangue
Habilidades
Aventureira e Escriba
Pontuação
+ 3,5 (item)
+ 5 (Classe)
+ 2 (Habilidades)


Abraços, 
Luisa 





[RPG] Autores e Talentos

Olá, pessoal. Tudo bom?


E voltamos com mais um RPG: Autores e Talentos! :) Quem está animado? Eu estou, pois os nosso combatentes de hoje tem muito o que falar! Além de sairmos do gênero da Fantasia e andarmos pelos caminhos da distopia e romance, também temos autores com muitas melodias e sangue para oferecer! 

Que o próximo jogo comece! 

Lilah Prates, a Fênix Resplandecente


Lilah não vive no País das Maravilhas, mas admite que amaria tomar uma xícara de chá com o Chapeleiro e papear sobre corvos e escrivaninhas. Dona de um canal pequenininho no YouTube, o Através do Espelho, e de um vira-lata chamado Alf, ela divide seu tempo entre a faculdade e seu amor pelos livros.

Sinopse de O Roubo da Fênix Dourada: Fang, a fênix dourada, coração de Aurum, foi roubada bem debaixo dos narizes da guarda real, despertando uma desavença secular entre um rei e uma princesa. Ao mesmo tempo, Eric, um simples camponês das Terras do Norte, ao lado da misteriosa Safira e sua pedra mágica, capaz de realizar os mais insensatos desejos do coração humano, recebe a perigosa missão de encontrar a Fênix, e, assim, recuperar o equilíbrio do Mundo de Areia.

Instagram: @lilahprates
Facebook: /paisdosespelhos


Brenda Bernsau, a Portadora das Melodias

Biografia Brenda Bernsau nasceu na capital do Rio de Janeiro, tendo se mudado para o interior ainda criança. Começou a escrever para veículos locais e projetos independentes aos 14 anos, tendo concluído seu primeiro romance “Alpha” aos 26, quando também teve contos como “Flecheiras” e “Enkidu 1C-8” inseridos em antologias.


Sophia, Alexia e o Mundo além daqui 
Uma caixinha de música quebrada. Foi o que Sophia e Alexia, duas crianças que vivem em um vilarejo afastado, herdaram da avó que as criou. Isso, e o forte vínculo que uma criou pela outra. O objeto, que inicialmente parecia inútil, mostra ser possuidor de grandes poderes quando as crianças conhecem Prisca, uma irmã da falecida avó. Através da magia da caixinha, ambas são transportadas para um mundo onde há dois sóis, criaturas fantásticas de todas as espécies e uma natureza impensável. No entanto, as irmãs acabam sendo separadas por forças maiores e, tendo de sobreviver uma sem a outra, elas enfrentam numerosos desafios. Sophia acaba por ser amaldiçoada e, para quebrar o feitiço, tem de coletar as melodias dos poentes, enquanto que Alexia perde a memória. E, para agravar ainda mais a situação, o mundo maravilhoso está em colapso. Agora, apenas se superando, contando com a ajuda de bons amigos, do curiosíssimo Prometeu e do legado deixado pela avó, as irmãs poderão salvar a si mesmas e ao Mundo além daqui.

Camila Pelegrini, As lágrimas das destruição


Com um sonho na cabeça e uma caneta na mão, Camila Pelegrini (21 anos), estudante de direito e professora de inglês, criou um mundo pela primeira vez. A mais nova escritora é de Mogi Guaçu e é uma consumidora assídua de livros, o que chega até a ser um vício (um dos bons é claro). O livro Sombras do Medo é o primeiro publicado e ela já trabalha em suas próximas obras.

As Sombras do Medo
Em um futuro pós-destruição em massa, provocada pelas guerras humanas e desastres naturais - para os quais os humanos também contribuíram grandemente - o mundo é dividido em 5 grandes regiões. Em cada uma delas vivem ordinários e singulares, pessoas com ambições completamente diferentes. Estes dominam o mundo. Aqueles tentam tão somente sobreviver. E ao viverem dessa forma, a bondade beira à extinção. O caos reina em seu lugar, despertando forças malignas que há muito esperam para serem alimentadas. A maior guerra de todos os tempos finalmente começa e a humanidade já se encontra em desvantagem. E em meio a tanto ódio e destruição, será o amor capaz de afastar as Sombras do Medo?

Aos olhos de Zoe
O que você acha que seu cachorro diria sobre a sua vida? Como ele contaria sua história? Bem, a sua eu não sei, mas a de Melissa, Zoe revelou perfeitamente. Após ser resgatada da rua, a cachorrinha mais sábia de todos os tempos acompanha a trajetória de sua nova família, relatando a história do fim de um amor e do começo de outro, apontando suas dúvidas sobre os erros humanos e fazendo das menores coisas do dia a dia a sua felicidade infinita. É mais do que um romance. É um ensaio sobre a amizade, a fidelidade e o amor em sua forma mais pura. É Zoe salvando aqueles que um dia a resgataram. Seja bem vindo à história de uma vida retratada "Aos olhos de Zoe".

Leticia Godoy, a Senhora das Chaves


Letícia Maria de Godoy nasceu em 13 de fevereiro de 1994 na cidade de Curitiba, no Paraná, porém cresceu em Siqueira Campos, onde descobriu, sentada sob as sombras da casa onde morava, o seu gosto pela leitura. Aprendeu a ler e escrever aos 4 anos de idade, tendo como primeira professora sua mãe, e aos 8 anos começou a escrever seus primeiros contos em restos de cadernos escolares. Desde então, nunca mais parou. Aos 17 anos passou no vestibular para ingressar na faculdade de Letras, um sonho que se tornou realidade. Aos 18 anos, publicou três contos na antologia intitulada Pontos da Vida, sua primeira aventura no ramo da literatura. Atualmente dedica-se a escrita de romances, a revisões textuais e pesquisas no ramo da linguística aplicada.

Deixe-me Entrar 
Julianne Ipswich cresceu confinada no internato Le Rosey, afastada de sua família com o pretexto de receber uma educação de qualidade. Este fato sempre a incomodou e o maior desejo de Julianne era descobrir a verdade para que a família tenha a afastado, uma vez que não ficou convencida de que a preocupação com os seus estudos seria o único motivo.
Ao completar 15 anos, ela retorna para Stone Forest, a cidade de seus pais, e, aos poucos, acaba descobrindo mais do que gostaria de saber.
Cercada por muito mais perigos e desafios do que ela jamais pôde imaginar que surgiriam em sua vida, Julianne precisará desvendar os mistérios de seu passado e preparar-se para os desafios do futuro rapidamente se quiser sobreviver. As vozes se misturam, os olhos sedentos nunca param de espreitar e o perigo está onde ela menos imagina. Será que Julianne conseguirá enfrentar tudo isso?

O livro dois da trilogia, Deixe-me Ver, já está para ser lançado! 

 Saulo Moureira, o Senhor dos Dados


Saulo Moreira é um típico mineiro do interior, criado livre pelos terreiros dos parentes e ruas do bairro, demorou a pegar gosto pela leitura, embora desde cedo sua mãe incentivasse este hábito comprando livros e revistas infantis. Saltar pelos braços do sofá ou usar o encosto como "ponte do rio que cai" era mais chamativo que os livros.
Criativo e inventivo, desde criança vivia suas histórias de cavaleiros, detetive e super-herói apenas na imaginação. A paciência para sentar e ler só viria na adolescência. Graças a um trabalho de escola foi "obrigado" a ler um romance policial da Agatha Christie e tudo então mudou. Percebeu que livros podem ser misteriosos e emocionantes como os filmes, só precisa de um pouco de tempo sentado e logo viveremos aventuras intermináveis.

O Grupo
O livro narra à trágica e perturbadora história de Júlio e Rodolfo. Amigos que cresceram jogando RPG (sigla do inglês: role playing game, algo como, jogo de interpretação de personagens) com outros colegas. Apesar das diferenças socioculturais, os dois nutriam uma verdadeira amizade. Após meses separados resolveram reunir todo o grupo de amigos para passarem um feriado inteiro jogando, bebendo e se divertindo em um sítio isolado. Então, o inesperado acontece, uma figura mascarada persegue um dos integrantes do grupo dizendo que o jogo é um pecado. Alega que somente sangue pode lavar tal mácula e com um macabro ritual envolvendo velas, pentagrama e artigos do jogo de RPG, assassina um dos jogadores.
O suspense aborda a psique humana de uma maneira crua e direta, fazendo o leitor transitar entre o ódio preconceituoso da misteriosa figura vestida em branco e vermelho e o desespero das vítimas. Além de demonstrar o comportamento libertino e inconsequente de alguns personagens.




Lilah Prates
Brenda Bernsau
Camila Pelegrini
Leticia Godoy

Saulo Moureira


Nome de Combate

A Dama das Trevas


A Portadora das Melodias


As Lágrimas das Destruição


A Senhora das Chaves


O Jogador dos Dados


Classe
Fênix
Escriba
Escriba
Vampiros
Demônios
Estilo
Fantasia
Fantasia
Distopia/Romance
Fantasia
Fantasia
Itens Mágicos
O Roubo da Fênix Dourada
E
Anabelle (Demontale)
Sophia, Alexia e o Mundo além daqui 
As Sombras do Medo
E
Aos olhos de Zoe
Deixe-me Entrar, Pontos da vida, Quarto do lado, Memorial das desanventuras, Borborema e Jurada  
O Grupo
Habilidades
Tomadora de Chá e Amiga do Chapeleiro
Escriba
Senhora das Leis
E protetora dos animais
Senhora das Letras Sagradas
(Português)
Detetive, Super-herói e cavaleiro
Pontuação
+ 2 (item)
+ 5 (Classe)
+ 2 (Habilidades)
+ 1 (Item)
+ 2 (Classe)
+ 1 (Habilidades)
+ 2 (item)
+ 2 (Classe)
+ 3 (Habilidades)
+ 6,5 (Item)
+ 3 (Classe)
+ 5 (Habilidades)
+ 1 (Item)
+ 3 (Classe)
+ 3 (Habilidades)

E para você quem é nosso combatente de peso? Quem merece o título de RPG do ano? Não deixem de comentar e seguir para descobrir! Abraços,

Luisa Soresini